Sunday, October 31, 2010

A morte do Kirchner


Agora que a eleicao acabou, da' pra falar um pouco de besteira :-)

Bem, eu passei alguns dias na Argentina durante as minhas ferias. E no final da viagem eu havia programado ficar tres dias em Buenos Aires, afinal todo mundo fala super bem da cidade (principalmente que la' e' tudo bem barato!). Mas eu obviamente nao esperava estar la' em um dia historico, o dia da morte do ex-presidente Nestor Kirchner.

Eu pessoalmente nunca soube muita coisa sobre o Kirchner. Sempre que eu olhava pra ele, achava que ele tinha aquela cara de professor universitario (de matematica, historia ou direito) prestes a aposentar, que torce pro final de semana chegar logo pra poder ir pro sitio, onde fica lendo e preparando o churrasco do domingao. Eu tambem nunca fui um expert em politica Argentina, sei muito pouco sobre a historia do pais, nao entendia essa historia do Peronismo, entao achava que o Kirchner era um cara meio apagadao mas que levava as coisas adiante, uma figura como o Marcio Lacerda aqui em BH, por exemplo.

Entretanto, eu estava completamente enganado. No dia da morte do Kirchner eu havia levantado meio passando mal, com muita dor de cabeca (acho que foi o pint extra na noite anterior) e fiquei um tempao de preguica no hotel so' acompanhando o noticiario na TV. Quando dei uma melhorada, eu resolvi ir pra Praca de Maio (onde fica a Casa Rosada) pra tentar tirar umas fotos da mobilizacao popular que, segundo alguns sites, havia se iniciado naquele local.

Cheguei a Praca de Maio por volta de 13h20 (a primeira foto que tenho de la' foi as 13h26, horario oficial de Buenos Aires). Eu sou pessimo pra estimar quantas pessoas estao em uma aglomeracao, mas vou chutar que tinha de 2 a 3 mil pessoas por la'. Tava tudo tranquilo, rapidamente consegui passar pelo aparato policial montado pra controlar a quantidade de pessoas que chegava perto da Casa Rosada pra prestar as condolencias ao ex-presidente e `a Cristina.

No inicio, poucas pessoas, tudo tranquilo.


Foi ai que eu comecei a ficar impressionado com a popularidade do Kirchner. As pessoas nao paravam de chegar, com mensagens de agradecimento ao ex-presidente e de "Fuerza, Cristina!". Eu selecionei algumas fotos e comento sobre elas abaixo.

Achei esta mensagem bonita, com o Kirchner e a Cristina.







Mensagens de agradecimento ao Kirchner.


As pessoas tambem deixaram muitas flores, nao apenas placas para o ex-presidente e para a Cristina.




Flores para o ex-presidente.


A mobilizacao da imprensa ao redor da Praca foi aumentado com o correr do dia.




Imprensa cobrindo a mobilizacao na Praca de Maio.


Por volta de 15h30, eu tive que voltar ao hotel porque a bateria da camera estava acabando [TODO(quintao): comprar uma bateria reserva!]. Quando sai de la', a situacao do muro da Casa Rosada era mais ou menos essa:


Alguns cartazes, poucas flores.

Eu voltei pro hotel pra carregar a bateria da maquina e tentar dar uma dormida porque a dor de cabeca continuava. Alem disso, era feriado nacional por causa do Censo e estava tudo fechado. Entao nao conseguia comer nada, ate' entao todos os restaurantes estavam fechados e nem no hotel estavam servindo almoco.

Eu voltei pra Praca de Maio por volta de 18h30. E ai eu fiquei impressionado com a mobilizacao social. A praca estava simplesmente lotada, muitas bandeiras de diferentes movimentos sociais (partidos, sindicatos, etc). As pessoas cantavam muito, diferentes hinos e marchas, e aquilo aliado `as bandeiras dava uma impressao de uma grande torcida organizada.



As bandeiras e o surdao ditavam o ritmo.

Nesse momento eu ainda consegui ir la' pertinho do muro da Casa Rosada e a situacao era totalmente diferente. Depois de uma quantidade enorme de pessoas terem passado por la (nao sei, mas nessa hora a Praca devia ter umas 30, 40 mil pessoas), o muro estava lindo, cheio de mensagens.



Na praca se formava uma grande fila pra deixar as homenagens ao Kirchner. Pessoas traziam flores ou mais placas para o ex-presidente.



No chao da Praca, um grupo comecou a colocar cartolinas para que as pessoas deixassem mais mensagens.



Ate' criancas deixavam mensagens para a Cristina e para o ex-presidente.

Ate' eu deixei uma mensagenzinha, no meu bom portunhol. Tudo bem que os caras sao argentinos, mas ...

Mensagem deixada para os hermanos.

Durante todo o dia diversas pessoas me impressionaram pela devocao e pela expressao de tristeza, ou pelas mensagens que foram deixadas.


Essa senhora trazia uma placa com dois lados, com duas mensagens. Ela parecia bem triste.

Esse senhor estava com um semblante pessimo. Um olhar de sofrimento.

Essa senhora trazia duas placas e tambem parecia bem triste. Nao sei quem e' Ministra Alicia K.

Essa moca chegou la' bem cedo e ficou uma boa parte do tempo sentada com essa placa no colo.



Jovens em seus momentos de tristeza pela morte do ex-presidente.


Jovem deixando mensagem escrita sobre a bandeira Argentina.



Por fim, esse outro cara ficou um bom tempo na frente da Casa Rosada, olhando pra bandeira la' em cima, sem falar nada, apenas pensando.


E ele foi o "motivo" de uma coincidencia. Essa moca ai atras o fotografando acabou "me pegando" na foto, a qual foi ate' pra capa do g1.globo.com :-) Veja ai a foto dela.

Olha minha pessoa humana ai na frente do rapaz, debaixo de uma placa marrom :)

Ao final do dia, eu tinha tirado quase 700 fotos. Como sempre, a maioria das fotos eram pessimas ou nao traziam a mensagem que eu queria mostrar. No caso, a mensagem de que o Nestor Kirchner parece ter sido um bom presidente para os argentinos, pois a mobilizacao que eu presenciei me passava isso. Eu nao sei detalhes das suas politicas, talvez eu tenha tempo pra rever isso algum dia, mas eu conversei com algumas pessoas (pessoas comuns, taxistas, funcionarios do meu hotel) e todas elas aprovavam muito o governo que ele fez na Argentina. Promoveu maior distribuicao de renda, diminuiu o desemprego, lutou pelos trabalhadores.


No final das contas, eu so' posso lamentar pela morte do Kirchner, e agradecer pelo timing de estar la' no momento certo, pra sentir toda essa bonita mobilizacao politica. Fuerza, Cristina y Hermanos!
Ate' a proxima!

4 comments:

  1. Parabéns, meu bem, pelo post! Muito bom! Acho que deu uma dimensão do que os argentinos sentiram, apesar de vc não ser argentino, apenas por estar lá e registrar com sua lente e sua percepção esse momento histórico.
    Parabéns!!

    ReplyDelete
  2. Que bacana, primo. Adorei as fotos e o texto! beijos, Prima.

    ReplyDelete
  3. Parabéns pelo post Fred. Trouxe uma visão que eu também não tinha sobre o ex-presidente da Argentina. Lindo texto e lindas fotos!

    abraço.

    ReplyDelete